quinta-feira, 22 de outubro de 2009

"Quem não gosta de tirar Férias?




O estatuto da CONFRADESP - Convenção Fraternal Interestadual das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo, no capítulo XXIII, artigo 62º, trata das "férias do Ministro". Diz: "Após 12 (doze) meses consecutivos de trabalho integral a frente da Igreja, ao Ministro ser-lhe-á facultado o direito de gozar 30 (trinta) dias de férias, vedada a conversão em pecúnia."


A pergunta é: Qual Ministro realmente goza deste direito?
Muitas são as razões que leva o Ministro a não tirar férias de uma Igreja! Entre elas ressaltamos:


1º) Medo da competição entre obreiros

Muitos Líderes que estão a frente de uma Igreja, tem receio de tirar férias, com medo de quando voltar, encontrar seu lugar ocupado pelo seu auxiliar ou, por ele ter mais prestigio diante do povo do que o próprio Líder local. Lembremos que a discussão dos díscipulos era de quem seria o maior no reino dos céus (Mc 9.33-35).

2º) Falta de confiança em seus liderados

Nos dias atuais, devido as barbáries que há entre alguns supostos liderados, do desejo de ocupar o lugar do outro, e pra isto, muitas vezes, ostenta planos maquiavélicos para puxar o tapete do seu próximo sem pensar nas consequências, levam muitos líderes terem dificuldades em confiar naqueles que estão ao seu lado, ao ponto de dizer que não confiam nem na sua própria sombra.

3º) Zelo demasiado pela obra de Deus
É isso mesmo! Ministros que tem zelo demasiado pelo trabalho do Senhor, a ponto de pensar, que sem ele, a Obra de Deus estaciona. Acaba se achando o único capaz de fazer a obra de Deus (1Rs 19.10, 14). Não que ter zelo seja ruim, pelo contrário, é bom que todos Ministros tenham zelo pela obra do Senhor; porém tudo que é demais estraga (Ec 7.16-18).
Bom... são apenas reflexões que valem a pena meditarmos!
Porém, vamos falar de mais uma:
4º) Falta de meios financeiros para entrar de férias.
Acredito que de todos, este é o pior! Infelizmente quantos não são os Ministros que não têm a mínima condição para sair com a Família da cidade onde reside por causa da dificuldade financeira! Muitos acham que o pastor tem dinheiro para esbanjar. Conheço muitos que sofrem essa dificuldade e muitas vezes não tem condições nem de tomar um lanchinho com a família. Os filhos do Ministro, muitas vezes, são alvos de olhares desconfiados, de pessoas que vão ao templo só para espiar qual a vestimenta que um filho do pastor veste, ou qual a marca do calçado que ele usa e assim por diante. Muitos não sabem porque não lêm a Bíblia e também não são alunos da Escola Dominical, se não saberiam o que diz a Palavra de Deus: "Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho"(1Co 9.13,14).

Até mesmo Jesus reconheceu que seus díscipulos precisavam de descansar: "E ele lhe disse: Vinde vós, aqui à parte, a um lugar deserto, e repousai um pouco. Porque havia muitos que iam e vinham, e não tinham tempo para comer" (Mc 6.31).

Que isto nos sirva de reflexão e possamos reconhecer que todo Ministro é antes de tudo um ser humano que deve gozar de direitos como todos.




por Edson Luís Lunardelli, pastor

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

VOCÊ SABE A RAZÃO DE EU AMAR TANTO A BÍBLIA?


"Por ela ser tão real"
Há uma porção de neblina entrando na vida de Jó, assim como na nossa. Nesta terra ninguém "vive feliz para sempre". Essa frase não passa de um belo conto de fadas. Você está vivendo em um mundo de fantasia se estiver esperando que as coisas sejam "felizes para sempre". É por isso que precisamos de graça. O casamento não fica mais fácil, e sim mais dificil. Precisamos então de graça para mantê-lo funcionando.

O trabalho não fica mais fácil, fica mais complicado e necessitamos de graça para continuarmos nele. A criação dos filhos não fica mais fácil. Você que tem filhos com um, dois e três anos de idade, pensa que as coisas são duras. Espere até que tenham quatorze, ou dezoito, e fale então de precisar de graça!

Vou ser penosamente honesto aqui. Se eu controlasse a situação, teria aliviado Jó cinco minutos depois dele ter perdido tudo. Teria feito que todos os seus filhos voltassem a vida no dia seguinte. Recriaria imediatamente tudo o que ele perdeu e lidaria de verdade com aqueles lamentáveis consoladores! Teria feito Elifaz calar-se depois de cerca de três sentenças. E se isso não o detivesse, apertaria seu pescoço. Quero dizer, quem precisa desse cabeça-dura? Sabe, porém, de uma coisa? Você jamais amadureceria sob o meu tipo de tratamento. Só aproveitaria o conforto.

Iriamos todos a piqueniques de motocicleta e nos diverteriámos à beça. Este é o meu estilo. O que explica por que alguém me diz: "Querido, se todo mundo lidasse com as coisas como você quer, só levaríamos balões à festa. Ninguém se lembraria de levar o que comer". Como de costume esta pessoa está certa.

A neblina então entrou. Qunado o inferno impera, a graça dá um passeio. Bem-vindo à raça humana, Jó. Mas o velho e maravilhoso hino diz:

"Mediante muitos perigo, labutas e ardis,

Eu já cheguei; A graça que me trouxe até aqui.

É a graça que me levará para casa"

Esta é a mensagem. Mesmo em meio à neblina a graça nos guiará atém em casa.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

"PERGUNTAS QUE VÃO LHE INCOMODAR"



  • Quantos dias na semana passada você dedicou tempo para adorar a Deus conscientemente?

  • Quais são suas metas pessoais para aprender mais sobre a fé este ano, e que plano você fez para facultar a consecução dessas metas?

  • Com quem você está desenvolvendo uma relação na esperança de poder compartilhar a fé em Cristo em algum momento futuro?

  • Como usar os recursos de Deus com mais eficácia para promover seu Reino?

  • Durante o ano passado, que impacto você causou na vida de pessoas socialmente desfavorecidas, por causa do tempo e energia dedicados a serví-las?

  • Com que frequencia você se reúne com cristãos para ter momentos de diversão e relaxamento, esquecendo-se de seu cargo e simplesmente se recostando para desfrutar a presença deles?

  • Que porcentagem dos integrantes de seu grupo ou comunidade você acha que verdadeiramente entende a função que cumpre e possui?

  • Que critérios você usa para avaliar a qualidade do seu caráter?

  • Se seus filhos, sobrinhos ou afilhados tiverem o mesmo caráter que você possui atualmente, o quanto você ficaria satisfeito? Que traços de caráter os incentivaria a melhorar?

  • O quanto você está convencido de que a Bíblia fornece as verdades morais absolutas que servem de base para determinar e desenvolver seu caráter?

  • Quem são os parceiros da prestação de contas em quem você confia para manter seu caráter em ordem? O quão perto você deixa que eles cheguem para ver o verdadeiro você?

  • Você está tão cativado por Deus que sua vida é uma expressão autêntica de seus caminhos e propósitos?

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

sábado, 3 de outubro de 2009

Louvemos ao Senhor...

HISTÓRIA EM CHAMAS

HISTÓRIA DO MOVIMENTO PENTECOSTAL


Apesar do movimento pentecostal do começo do século 20 ter redescoberto os dons espirituais, incentivando os cristãos a buscarem o batismo no Espírito Santo com a evidência do falar em línguas e trazendo novo fervor evangelístico, a verdade é que manifestações pentecostais ocorreram durante toda a história da Igreja. Às vezes, surgidas ao acaso; em outras, como parte de avivamentos. Confira os principais momentos:

33 d.C. - Em um cenáculo na cidade de Jerusalém, os apóstolos e outros discipulos, em um total de 120 pessoas aproximadamente, recebem o derramento do Espírito Santo, acompanhado de fenômenos que lembravam o vento e o fogo, além da manifestação de linguas. Após explicação e pregação de Pedro, 3 mil se conmvertem. Como aconteceu durante a Festa das Colheitas, cinquenta dias depois da Páscoa, o evento recebe o nome de Pentecostes.

156 d.C. - Preocupados com a decadência espiritual da Igreja , Montano e as profetisas Prisca e Maximilla lideram um movimento pela restauração da manifestação do Espírito Santo, que se espalha pelo norte da África, Ásia Menor e partes da Europa. Mesmo com o apoio de Tertuliano e Irineu, os Montanistas acabam declarados heréticos.

387 - Agostinho, bispo de Hipona, no norte da Àfrica, e um dos mais notáveis pensadores de sua época, escreve: "Fazemos ainda como os apóstolos, que impuseram as mãos sobre os samaritanos e pediram o batismo no Espírito Santo. Esperamos que os convertidos falem novas linguas".

1173 - Na Europa medieval, o mercador Pedro Valdo e seus seguidores ensinam o sacerdócio de todos os cristãos e rejeitam as reliquias e tradições, pregando a Bíblia às pessoas em sua próprias linguas. Há relatos de manifestações de glossolália e atos sobrenaturais entre eles.

1530 - Enquanto a Reforma causa rebuliço em solo europeu, os huguenotes reconhecem a necessidade dos dons espirituais. "Nas montanhas de Cavenes, homens e mulheres caiam em êxtase, ocasião em que falavam em francês sobre a Bíblia, apesar de só conhecerem seu próprio dialeto", relatou o escritor E.H.Broadbenat.

1630 - George Fox cria a Sociedade dos Amigos e defende o relacionamento pessoal com Deus e a direção do Espírito Santo na vida do crente. Ridicularizados com o nome quekers ou "tremedores" pelos anglicanos, eles relatam que recebiam com frequencia o derramaneto do Espírito e falavam em linguas.

1735 - Choro compulsivo, tremores, quedas e arrependimento de multidões marcam as reuniões de homens como Jonathan Edwards, John Wesley e george Whitefield. Wesley lidera um avivamento que dá origem ao metodismo.

1830 - O evangelista Charles G.Finney começa a promover reuniões que produzem avivamentos notáveis em diversas cidades do interior dos Estados Unidos. O segredo para um trabalho bem sucedido, segundo eles, era o poder que havia recebido no batismo com o Espírito Santo.

1834 - Na Inglaterra, um jovem e elegante ministro presbiteriano chamado Edward Irving ensina o batismo com o Espírito Santo e a prática de dons, como a glossolalia.

1855 - Dentro da Rússia czarista, manifestações pentecostais são noticiadas na Igreja Ortodoxa Grega.

1864 - Pioneira das cruzadas de salvação e cura divina, a norte-amaericana Mary Woodworth Etter declara que também fora batizada com Espírito Santo. Em suas reuniões, pessoas entravam em êxtase ou caíam no chão, relatando depois que experimentaram "profunda transformação".

1873 - Seguindo a tradição avivalista, Dwight L.Moody afirma que foi batizado com Espírito Santo. Em suas campanhas na Inglaterra, surgem manifestações pentecostais. "Quando cheguei às salas da Associação Cristã de Moços, em Sunderland", escreveu Robert Boyd, "encontrei a reunião em fogo. Jovens falavam em línguas e profetizavam depois que Moody pregou naquela tarde".

1890 - Demos Shakariam da Full Gospel Business Man Fellowahip (entidade presente em diversos países, inclusive o Brasil, e que reúne profissionais liberais e empresários evangélicos), relata uma série de experiências espirituais, especialmente profecias, entre camponeses na Armênia. Sua própria família, ao imigrar para os Estados Unidos, é exortada profeticamente a fixar residência na costa oeste.

1891 - Movimentos de santidade incentivam seus membros a buscarem uma "segunda experiencia com Deus". Daniel Awrey e sua esposa descobrem uma terceira e falam em línguas.

1901 - Tem inicio o pentecostalismo moderno, quando na vigilia da noite de ano novo, a estudante Agnes N.Ozman recebe oração com imposição de mãos de Charles Parham e alunos da Escola Bíblica Betel, em Topeka, Kansas, EUA.

1904 - Uma série de avivamentos acontecem em várias partes da Europa, especialmente no País de Gales. Naquela nação, Evan Roberts, um ex-mineiro, proclama um despertamento do Espírito marcado por manifestações do poder de Deus.

1906 - 1908 - Em um galpão, no número 312 da Rua Azuza, em Los Angeles, EUA, o pentecostalismo explode e se espalha por todo mundo.

1910 - O operário italiano Luigi Francescon, que havia saído de Chicago, nos EUA, no ano anterior, chega ao Brasil em março e começa a pregar a mensagem pentecostal em São Paulo e Santo Antonio da Platina. Seis meses depois, chegam a Belém os suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, que criam a Assembléia de Deus. O movimento pentecostal começa no país.

1950 - O advento de pregadores de curas e milagres provocam uma nova onda pentecostal no Brasil. Surgem em São PAulo as igrejas Quadrangular, O Brasil Para Cristo e Deus é Amor.

1960 - Vários membros de igrejas episcopais, presbiterianas, metodistas e luteranas nos EUA recebem a experiencia do batismo com Espírito Santo. Diferente de outros tempos, em vez de deixar a denominação, permanecem: surge a Renovação Carismática. Em 1966, o pentecostalismo chega também ao catolicismo.

1965 - No Brasil, 32 igrejas batistas são excluidas da Convenção Batista Brasileira por aceitarem o batismo e os dons carismáticos do Espírito Santo. Sob a liderança de Enéas Tognini, é criada a Convenção Batista Nacional.

1980 - A Teologia da Prosperidade começa a ganhar força no Brasil com o crescimento de igrejas como Universal do Reino de Deus.

1985 - O estudioso norte-americano Peter Wagner consagra o termo "Terceira Onda", em referencia à aceitação de um trabalhar do Espírito Santo entre evangélicos tradicionais. A enfase, porém, não é mais no batismo com Espírito, mas no evangelismo de poder e no uso de dons nas celebrações.

2007 - Pentecostais e carismáticos já são mais de meio bilhão em todo mundo. O brasil é apontado como o maior país pentecostal do mundo, com 24 milhões de crentes.


Marcos Stefano - Revista Eclésia - Ano 11 - Edição 118

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

LIÇÕES BÍBLICAS: 2º Trimestre de 1984 comentado pelo Pastor Lowrence Olson



MARIA E AS BODAS DE CANÁ




VERDADE PRÁTICA


"Deus manifetsa o seu poder em qualquer lugar e em qualquer circunstância, em resposta à obediência e à fé"

TEXTO AUREO

"Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser" (Jo 2.5)


COMENTÁRIO

Interessa muitissimo conhecer o que a Biblia diz acerca de Maria, a mãe de Jesus, embora a Igreja Católica Romana revista-a de virtudes e títulos divinos sem fundamento escrituristico, nós não ousamos fazê-la inferior ao que realmente foi. Ela foi obediente serva de Deus, um instrumento nas suas mãos, digna da nossa gratidão e honra, porém com uma reserva: que ela permaneça no lugar em que ela mesma se colocou diante de Deus. Ela mesma reconheceu Deus como seu salvador. Ela congregou-se com os quase 120 que receberam o batismo com Espirito Santo no dia de Pentecoste.

I - UMA OCASIÃO DE ALEGRIA
1.O convite aceito.
Chegando a Caná, uma pequena vila da Galiléia, Jesus, seus discipulos, e sua mãe foram convidados a assistir as bodas, isto é, uma celebração de casamento, convite que aceitaram. A presença de Jesus sanciona e abençoa o casamento. A união de marido e esposa ilustra o poder e beleza do mútuo amor de Cristo e sua Igreja.
A Bíblia condena aqueles que proíbem o matrimonio (1Tm 4.3). A presença de Jesus no lar garantirá a felicidade deste.
Observa-se também, que Jesus não era qual eremita, sempre, ausente das reuniões sociais e da vivencia com o povo, como o faziam hipocritamente os fariseus. Nunca, no seu convivio social, Jesus se contaminou com os pecados do povo, mas os fariseus, que se separavam de todos, abrigavam muitos pecados em seus corações.

2. A alegre celebração.
O jovem fez muito bem em convidar a Jesus para essa ocasião de alegria. Muitos só o convidam quando adoecem ou enfrentam uma grande luta.
Embora Jesus seja conhecido como o "homem de dores", que vivia à sombra da cruz, nota-se que Ele era um homem alegre; que frequentemente dizia "tende bom animo".
A alegria do crente nao se deve limitar as ocasioes sociais, mas sim deve ser a expressão natural e constante do coração lavado no sangue de Jesus; da obediencia a sua Palavra que nos exorta: "Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens".

II - A ALEGRIA AMEAÇADA
1.A angustia de Maria.
No decorrer da festa, faltou vinho. Como esse triste fato simboliza a vida neste mundo! Pouco dura a alegria da vida presente, como notou Salomão, que tudo havia experimentado: Vaidade de vaidade! é tudo vaidade. Que proveito tem o homem em trabalhar para o vento?.
Maria relatou a Jesus o vexame da falta de vinho, esperando que Ele tomasse uma providencia no caso. Certamente se lembrou das profecias a seu respeito.

2. A sugestão rejeitada.
A linguagem empregada por Jesus não denota desrespeito a sua mãe, apenas uma mudança de relacionamento. Ela demonstra que Ele não estava mais sob as ordens da mãe, Ele deixou assim bem claro qu, ao operar milagres, ou em qualquer outra area do seu ministério, em vez de ser filho de Maria, Ele é acima de tudo "filho de Deus", obediente exclusivamente às suas ordens.

3. A vitória da humildade e da fé.
Como fez a mulher sirofenicia, MAria, não levou a mal a observação de Jesus, que, também não teve por alvo afetar-lhe a fé. Antes ela demonstrou rara humildade, sujeitando- se à sua opinião, bem como revelou profundo dircesnimento espiritual. Sua fé lançou mão da palavra: Ainda não é chegada a minha hora".

III - A PROVIDENCIA MILAGROSA
1. O milagre operado.
A Biblia não revela a maneira pela qual Jesus transformou a agua em vinho. As talhas eram usadas para guardar agua, portanto, não era possivel que tivessem o gosto do vinho. A falto do vinho foi inesperada, portanto, ninguem poderia ter praticado um arranjo qualquer ou pseudo-milagre. As talhas continham ao todo cerca de 400 a 600 litros. Seria impossivel algue, trazer tanto vinho sem ser observado. Oas servos encheram até em cima; assim seria impossivel introduzir outra substancia. O milagre foi o resultado puro e simples da obra criadora de Jesus, o mesmo que o criou a videira. Ele tinha poder para criar também o fruto da videira.

2. A qualidade superior.
Tudo o que Jesus faz é excelente! Ficaram eles embriagados com esse vinho? Absolutamente! Foi o suco de uva da melhor qualidade, e não vinho forte, fermentado pelas seguintes razões: Jesus não teria sancionado uma festividade que se transformasse depois em orgia. Sendo alcool produto de decomposição, como poderia o vinho fermentado servir de ilustração do poder criador de Jesus? Ele bem conhecia passagens da Biblia como: Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo.
A palavra do mestre-sala indica que desconhecia a fonte do novo vinho, como de fato o mundo não sabe donde procede a nossa alegria. O mundo apresenta primeiro o que tem de melhor, e issso logo se acaba. Mas Cristo reserva o "bom vinho" para o fim.



Pastor Lowrence Olson