domingo, 27 de setembro de 2009

CULTO DE AÇÃO DE GRAÇAS NO JD.ELIANA

Pastor Edson Lunardelli fazendo os agradecimentos
Família do Pastor: Regiane (à esquerda); Martha (mãe); Elisio (Pai); Edilene (esposa) e Edvaldo (cunhado)

Pastor Edson ao lado do Pastor Jonas Vicente
(representando Pr Setorial Ezequias Henrique da Silva)

Alguns companheiros que marcaram presença
No último dia 26/09 foi realizado um culto em ação de graças pela passagem de aniversário do Pastor Edson Lunardelli no Jd Eliana. Foi uma grande vitória marcada com a presença de vários companheiros do Setor 52 e também da igreja local. Deus abençoe a todos!




quarta-feira, 23 de setembro de 2009

LIÇÕES BÍBLICAS: 4º Trimestre de 1983 comentado pelo Pastor Gesiel Nunes Gomes



COMEÇANDO POR JERUSALÉM




VERDADE PRÁTICA

"A missão de evangelizar o mundo devia começar em Jerusalém, pois ali Jesus Cristo terminou sua obra redentora"




TEXTO AUREO
"Em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados em todas as nações começando por Jerusalém"(Lc 24.47)


COMENTÁRIO
O título da lição é tomado das palavras que foram dirigidas pelo Senhor Jesus aos dois ciscipulos no caminho de Emaus, após o evento maravilhoso da ressurreição. A palavra Jerusalém aparece no texto canônico mais de 800 vezes. Essa cidade tem sido o centro religioso do mundo. As atenções de Deus e da Igreja se voltam para ela, porquanto ela está estreitaemnte vinculada à profecia da Bóblia Sagrada.

I - IDENTIFICANDO JERUSALÉM
1.Informações gerais.
A antiga cidade de Jerusalém é mencionada no texto sagrado desde o livro de Gênesis até o de Apocalipse. Tendo sido promotivamente chamada de Salém (Gn 14.18), foi um dia invadida pelos jebuseus, quando então recebeu o nome também promitivo de Jebus.


O nome Jerusalém significa habitação de paz. Quando ainda Salém, Melquisedeque foi o seu rei. Foi a capital de Israel desde os tempos de Davi até Nabucodonozor (2Sm 5.6-7).


Jerusalém tornou-se o centro religioso de toda anação israelita no reinado de Davi (1Cr 15.17-27). Anteriormente, na condição de fortaleza cananéia, resistiu à conquista e a ocupação israelita, até que foi dominada pelos homens de guerra comandados por Joabe.


Foi uma decisão pessoal do rei Davi transferir a arca de Deus para Jerusalém, para que fosse abrigada em uma tenda ou tabernáculo. Isso conduziu o povo a restaurar a adoração a Deus, a partir de Jerusalém, e em escala nacional.


Totalemnte destruída no amo 70 de nossa era, quando capturada pelas forças romanas comandadas pelo general Tito, Jerusalém voltará a ser a cidade central em Israel e no mundo, no reinado milenal.


2. Outros nomes e títulos.
A cidade de Jerusalém recebeu diversos nomes, cada um deles em circunstância diferente e relacionada a fato isolado. Assim sendo, vamos relacionar alguns exemplos:


a) Ariel; cidade de Davi; cidade de Deus; cidade de justiça, cidade fiel; cidade do grande Rei; cidade santa; Sião, etc...


Essa cidade já foi destruida e reconstuida diversas vezes, especialmente devido às muitas guerras que já teve de sofrer. Duas dessas destruições são: a de Nabucodonozor, no ano de 587 a.C.; e a do general romano Tito, no ano de 70 d.C. Aorigem da cidade é do segundo milênio a.C.


3. Sua importância.
Jerusalém aparece na Bíblia e na História como "a cidade escolhida por Deus para ser a revelação pessoal, com a missão de proclamá-lo a todo o mundo".

II - AMANDO JERUSALÉM
1.Jerusalém no Antigo Testamento.
Existem abundantes informações sobre a cidade de Jerusalém e muitas delas provocam em nós sensação de sempatia por ser uma histórica cidade. Alinhemos algumas referencias:


a) Seus montes ao redor, representando a proteção de Deus aos seus filhos (Sl 125.3);


b) Foi conquistada pelo rei Davi, por isso foi chamada "cidade de Davi" (2Sm 5.7);


c) Davi edificou um altar numa eira comprada a Arauna (2Sm 24.24-25);


d) Salomão construiu o templo na eira que Davi comprara a Araúna (2Cr 3.1);


e) A cidade foi várias vezes atacada por exércitos inimigos (1Rs 14.25-26; 2Rs 23.33);


f) Foi destruída por Nabucodonozor (2Rs 25.8-11).


2. Jerusalém nos Evangelhos.
A vida terrena de Jesus se relaciona profundamente com a cidade de Jerusalém. Eis alguns dos enfoques dados pelos Evangelhos: a) Jesus foi apresentado no templo (Lc 2.22); discutiu com os mestres, quando tinha doze anos (Lc 2.46-47); ainda em Jerusalém, Jesus entrou triunfalmente (Mt 2.7-9); Jesus chorou e profetizou sobre a cidade (Mt 23.37-39); foi em Jerusalém que Jesus proferiu o famoso sermão profético registrado nos capitulos 24 e 25 de Mateus. E nessa cidade aconteceram os fatos culminantes do seu ministério: sua paixão e morte na cruz de Calvário.


3.Lágrimas sobre Jerusalém.
As lágrimas derramadas pelo Senhor Jesus sobre a cidade de Jerusalém e sua célebre lamentação (Mt 23.37), traduzem a sua sensibilidade, o seu amor e a sua presciência.


a.Sensibilidade de um salvador rejeitado, conhecedor das profundas e marcantes necessidades espirituais da população da cidade, a qual reagiu com desprezo e frieza às sua mensagens de paz e perdão.


b.Amor divino que encarnava todo seu ministério e sua personalidade e que se refletia em grossas lágrimas de compaixão por uma cidade, testemunha de seu poder, mas, indiferente ao seu sacrificio.


c.Presciencia que o levou a predizer o dia tragico em que a nação seria levada cativa, a casa ficaria deserta, tudo reduziria a cinzas, saudade e luto. Tal foi o resultado de haver rejeitado o Messias, o Cristo de Deus, pois "veio para o que era seu e os seus mão o receberam".


4.O sentido espiritual e profético.
A interpretação missiológica de começar em Jerusalém nos conduz a reflexões de rara sensibilidade. Jerusalém era o lugar santo. Nenhum lugar era melhor para começar!


O Senhor estabeleceu os parametros da ação missionária da Igreja, dispondo-a racional e geograficamente em quatro pontos: Jerusalém-Judéia-Samaria-confins da terra.


Confins da terra significam a ação mais distante do labor missionario. É a igreja que se universaliza através da penetração em todas as áreas do planeta. São as missões estrangeiras.


Samaria e Judéia lembram o dever de evangelizar a nação, as regiões que nos circundam, as terras adjacentes à nossa. Podemos resumir: missões nacionais.


Começar por Jerusalém significa iniciar um grande movimento evangelizante esalvifico, tendo por ponto de partida o nosso lar, os nossos vizinhos, a nossa cidade; enfim o lugar onde estamos.


A visão do mundo perdido é a dilatação da visão de uma cidade perdida. Apaixonam-se por uma cidade quando começamos a nos apaixonar por nosso próprio lar.


Antes de nos deslocarmos rumo a outros continentes, devemos atentar com diligencia para amoeda proventura perdida dentro de nossa própria casa.


Evangelismo doméstico é a base para todo o evangelismo restante.


Os confins da terra nos esperam. Samaria e Judéia nos aguardam. Mas, comecemos por Jerusalém.


Pastor Gesiel Nunes Gomes




segunda-feira, 21 de setembro de 2009

LIÇÕES BÍBLICAS: 4º trimestre de 1982 comentado pelo Pastor Geziel Nunes Gomes



O SUPREMO PASTOR





VERDADE PRÁTICA

"Em qualquer situação, o nosso Bom Pastor cuidará das suas ovelhas"



TEXTO ÁUREO
"O Senhor é o meu pastor; nada me faltará" Sl 23.1



COMENTÁRIO
A lição de hoje traz-nos à memória uma das mais doces e ternas figuras bíblicas de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é apresentado ao longo das Escrituras Sagradas como um pastor perfeito e os que O seguem são suas ovelhas diletas.


Jesus foi apresentado pelo Pai como seu Escolhido para cuidar da Igreja. Ele é o PAstor que cuida do "rebanho de Deus" (1Pe 5.2; At 20.28).

I - DEFININDO UM PASTOR
A fim de melhor avaliarmos o sentido pleno da mensagem bíblica do ministério pastoral de Cristo, torna-se conveniente que introdutoriamente se leve em conta a harmonia do ensino contido nos Salmos 22, 23 e 24. Estes 3 salmos fornecem uma visão panorâmica das atividades terrenas e celestiais do Senhor.


No salmo 22 Jesus é o PAstor que morre, dando a sua vida em favor de suas ovelhas. Fala do profeta que trouxe a misericórdia no passado. No salmo 23 encontramos o PAstor vivo, ressurreto, que oferece graça no presente e recorda o ministério sacerdotal do Senhor Jesus, que cuida do cotidianamente das ovelhas. O salmo 24 focaliza Cristo, como o Pastor coroado, o Pastor Rei, tal como haveremos de vê-lo, em Sua próxima e iminente vinda (Mt 24.30). Ele é o Rei bendito que aguardamos, ansiosos (Ap 22.20).

II - CRISTO, O MEU PASTOR (Sl 23)
A primeira grande idéia que ressalta da expressão que Davi usou no Sl 23 consiste no fato de termos um PAstor pessoal - Meu PAstor.


Para cada necessidade de nossa vida, para cada angustia de nossa alma, para cada turbulência de nosso viver, temos um Pastor que provê tudo aquilo de que carecemos e nos supre, assim, todas as necessidades.


Um exame cuidadoso da vida pastoral no Oriente Médio nos conduz a interessantes conclusões.


Há muitos anos Leslie Elmer rdcreveu: "Não é fácil encontrar na Palestina estes três elementos: pastor, água e descanso. Mas o pastor sabe onde encontrá-los. Ele sabe onde está a verde grama; ele sabe onde está o lugar de quieto descanso; ele sabe onde encontra a água que satisfaz, as torrentes que vem da montanha e que em algum lugar estão quietas, refrescantes, cristalinas e saudáveis. Ali a ovelha bebe em conforto e segurança.


A Palavra de Cristo é o elemento fundamental ao cristão. È o alimento diário. A sã doutrina deve assim ser a sua ração cotidiana. O que os delicados pastos são para as ovelahas, as promessas de Deus são para seu povo.


1. O Meu Pastor me guia (vv 3,4)


Nestes dois versos aparecem duas vezes a palavra guiar. Na primeira, o pastor guia a ovelha enquanto procura descanso e pasto. Na segunda, guia-a na continuação de sua jornada, pelas veredas da justiça. Devemos lembrar, então, a imagem do pastor, devidamente adestrado, seguindo pelos caminhos escarpados, buscando o melhor terreno, etornando viável a nova estrada por onde conduzirá o seu rebanho.


Quando somos guiados pelo Pastor divino somos libertos do medo. Essa terrivel praga que afeta a milhões neste mundo. Mesmo que o vale seja imenso e escuro, apresença do PAstor inspira segurança. Com Ele nunca fracassaremos. Com Ele nunca pereceremos (Jo 10.28).


2. Meu Pastor me torna feliz (vv 4).


O vale da sombra da morte originalmente significa "vale da profunda escuridão". Frequentemente se vê tais vales na Palestina e neles são encopntrados terriveis inimigos, animais ferozes e outros perigos, inclusive o proprio perigo da morte devido a topografia da região. Assim a vida da ovelha estaria sempre em perigo, não fosse a destreza do pastor.


O pastor conduz duas armas, a vara e o cajado, as quais certamente simbolizam a Palavra de Deus e o Espírito Santo. As ovelhas não seguem o pastor que não tem em suas mãos estas armas. Tenhamos cuidado! Alguns hoje usam a vara sem o cajado, outros tem o cajado, sem a vara. Cristo nos apresenta a ambos e assim estamos seguros e bem protegidos.


3. O Meu Pastor me honra (vv5).


De diferentes maneiras somos honrados pro nosso Pastor, embora não sejamos possuidores de qualquer merecimento, posto sermos apenas vasos de barro (2Co 4.7; Co 1.28).


Por um lado, o Senhor nos garante a proteção através do Seu nome (Mc 16.1). Sabemos sobejamente qual a onfluencia do Seu santo e poderoso nome, que é torre forte e poderosa (Pv 18.10). Por outro lado, temos a proteção de Sua presença, através da promessa de nos sentarmos À sua mesa, em ´presença de nossos inimigos.


No Oriente, sentar-se à mesa de alguem significa estar sob sua proteção. Assim como nos banquetes orientais estava presente o perfume, que aumentava o alto sentido da hospitalidade do hospedeiro e da honra que ele conferia aos hóspedes, da mesma sorte o nosso bem-amado Pastor nos promete ungir com óleo, assim como Ele próprio foi ungido e fazer transbordar o nosso cálice (Jo 10.38).


4. O Meu Pastor faz meu cálice transbordar (vv 5).


Desu nunca dá a seu povo uma medida mesquinha. Quando temos perfeita comunhão com o Senhor, então o nosso cálice transborda. Transborda de paz, transborda de amor, de poder, de alegria e de vida (Is 54.13; Jr 33.6; Rm 5.5).


O salmo 23 finaliza oferecendo a doce imagem de uma comunhão eterna com o Senhor, em cuja presença habitaremos por "longos dias", isto é, eternamente. Os dias de Deus não são como os nossos.


III - CRISTO, O BOM PASTOR (Jo 10)
O Bom Pastor é o dono e salvador do rebanho. Ele conhece e ama a cada ovelha em particular, mesmo a mais fraca (Is 40.11). Ninguém se lhe equipara em graça e bondade. Vejamos algumas de suas nobres atitudes para com o rebanho.
1. O Bom Pastor sacrifica-se.
Ele morre pelas ovelhas. Para salvar uma ovelha. Davi lutou com um leão e um urso. Pra nos salvar, Jesus foi ao Calvário, lutou contra todos os inimigos, naturais e sobrenaturais, venceu-os a todos, deramou seu sangue e tornou-se a Grande Vitima no altar da eternidade e com o seu sangue efetuou a maior transação da historia permitindo-nod ser "comprados por bom preço".
2. O Bom Pastor guarda.
Antes de guardá-las, Ele estampa em suas ovelhas a imagem de si mesmo, separando-as das semais! Cada ovelha de Cristo deve possuir a marca de sua sabedoria, de sua mansidão, de sua santidade e de sua obediencia.
3. O Bom Pastor conhece.
Ele conhece as ovelhas pelo número, pelo nome e por suas caracteristicas pessoais. Nunca se confunde. Sempre as distingue claramente. Ele disse: "Eu conheço as tuas obras, e atua caridade, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência..."(Ap 2.19).
4.O Bom Pastor concede vida eterna (Jo 10.28; 5.24; 3.36).

Pastor Geziel Nunes Gomes


sábado, 19 de setembro de 2009

LIÇÕES BÍBLICAS: 1º Trimestre de 1981 comentado pelo Pr.Lawrence Olson




O LAR E A IGREJA






VERDADE PRÁTICA:

"Bençãos espirituais e materiais resultam, quando o lar e a igreja cooperam entre si."



TEXTO AUREO:

"Porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos" (Is 56.7)

COMENTÁRIO
Nesta lição estudaremos arelação entre o lar e a igreja. A familia precisa da igreja e esta daquela. Ambas tem uma tarefa comum: evangelizar o mundo e proporcionar instrução nos principios cristãos. A medida que uma familia for forte na fé, sua igreja também o será. A melhor maneira de assegurar a permanência dos filhos na fé, é conduzi-los enquanto crianças à casa do Senhor.


I -DANDO O DEVIDO VALOR À IGREJA (Sl 84.1-4,10)
Disse o salmista: "Alegrei-me quando me disseram: Vamos a casa do Senhor". Havendo cooperação entre o lar e a igreja, grandes bençãos serão recebidas. Os pais devem falar bem da igreja, dos pastores e de todos os crentes, em presença dos filhos. Falar mal de alguém em presença deles, é semear joio em seus corações e no devido tempo a colheita será joio! ... Todo o Salmo 84 é dedicado à descrição de bençãos da "casa do Senhor".


Na opinião de alguns eruditos, este Salmo foi escrito por Davi, quando fugia da ira de Saul, estando longe de Jerusalém e do Tabernáculo, cuja presença ele ardentemente almejava. De igual modo, os pais cristãos devem almejar congregar-se no culto aDeus, onde descobrirão que há segurança, paz e alegria na presença do Senhor. Os altares do Senhor, aqui, tipificam o Calvário e aoração, onde o cristão se pode refugiar dos embates desta vida (Pv 18.10), e assim levar seus filhinhos a seguir-lhe o bom exemplo.


II -O RESPEITO DEVIDO AOS LÍDERES DA IGREJA (Nm 16.41-50)
Naturamente, as atitudes dos pais para com os pastores e outros lideres da igreja costumam ser assunto da conversa no lar. Infelizmente, muitas vezes, nessas palestras surgem comentários de que depois os pais se arrependem, porém já tarde demais para corrigir o mal causado aos filhos. Portanto, é melhor evitar qualquer comentário desfavorável a quem quer que seja, diante das crianças! E, qualquer comentário sobre a igreja e seus lideres deve ser favorável, elogioso, amoroso, a fim de que as crianças aprendam a dar-lhes o devido valor. Do contrário, não se faça comentário nenhum. "Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas"(ICr 16.22). Os pastores e demais lideres da obra são "ungidos" do Senhor. Deus recomenda o respeito e honra a eles. Deus não terá por inocente aquele que os ferir (ISm 26.9). Muitos crentes, inclusive obreiros também, não conseguem jamais vencer na vida, nem se recuperar em todo sentido, devido a sua doença crônica de sempre falar mal de tudo e de todos.


III - COOPERANDO COM A IGREJA NA ASSISTÊNCIA AOS CULTOS (Hb 10.19-25)
Este texto leva-nos a crer que aqueles crentes hebreus estavam negligenciando a assistência aos cultos. Há muitos pais que desprezam a Escola Dominical, crendo ser ela só para as crianças, o que está completamente errado. Há igrejas econgregações que nem tem Escola Dominical, tal é a cegueira e negligência de seus dirigentes. Outros tem Escola Dominical, mas sem aluno, sem professor, sem classe, sem sala de aula, sem revista, sem aula bíblica, sem nada ... Escola Dominical é a escola da igreja para todos os membros econgregados. Portantom não mande as crianças à Escola Dominical -leve-as você mesmo. Na casa do Senhor encontraremos oportunidade para aprender o que necessitamos para o nosso crescimento na graça de Deus ena fé em Cristo Jesus.


IV - COOPERANDO COM A IGREJA NOS SEUS TRABALHOS (Hb 13.17)
O lugar ideal para praticar as coisas aprendidas nos cultos ou na Escola Dominical é o lar. Os pais devem cooperar com a igreja, ajudando os filhos apreparar a lição da Escola Dominical, a decorar o texto aureo, e no Culto Doméstico devem sempre comentar um texto bíblico e orar com as crianças em favor da igreja, do pastor, do evangelista, do ministério, do professor da EBD, do presbítero, do diácono e de todos quantos cooperam na obra em favor da salvação de almas. Os homens dados por Deus à igreja, devem ter sua missão facilitada mediante as orações do lar, para que possam fazer a sua obra eficientemente.


V -A IGREJA COMPLETANDO A VIDA ESPIRITUAL DO LAR (1Co 16.15-19)
Os pais são os responsáveis pelo bem estar espiritual dos próprios filhos, mas Deusincumbiu aigreja de os ajudar no cumprimento desta nobre tarefa. A ajuda da igrejase manifesta em estudo sistemático da Bíblia, na comunhão fraternal cultivada nos cultos, nas orações em conjunto, nos canticos congregacionais e na disciplina. Paulo reconhece o valor dos seus colaboradores Estáfanas, Fortunato e Acaico, e ordena aos corintios que os acatem como mensageiros que eram de Deus. Daí se vê o valor da cooperação na obra do Senhor e o valor que os pais devem das aos obreiros que são por Ele chamados a servir a Igreja. Que Deus abençoe a cada lkar cristão e a cada igreja local, fazendo-os de tal modo viver unidos na colaboração, que o lar se torne uma extensão de igreja e vice-versa, e assim estaremos cumprindo o prgrama de Deus na terra. Amém.
Pastor Lawrence Olson

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

LEMBRANDO OS ANOS DE 1980 NA ESCOLA DOMINICAL


Em comemoração ao Dia Nacional da Escola Dominical, iremos trazer a sua memória, durante alguns dias, lições da EBD, que marcaram a década de 80, com os comentários de Homens de Deus que fizeram História nas Assembléias de Deus no Brasil comentando temas marcantes, que trouxe grande crescimento e desenvolvimento espiritual para nossas vidas. Pastores como: Pr. Lawrence Olson, Pr Gesiel Gomes, Pr João de Oliveira, Pr.Antonio Gilberto, Pr.José Apolônio, Pr.Raimundo Ferreira de Oliveira, Pr.Eurico Bérgsten, Pr.Abraão de Almeida, Pr.Severino Pedro da Silva, Pr.Estevam Angelo de Souza, Pr.Túlio Barros Ferreira e outros.

É sublime a importância a Escola Dominical, para aqueles que amam a Família, e querem ver o crescimento, e desenvolvimento espiritual, social e prático, de todos que temem e almejam louvar a Deus.

É de sublime importância a Escola Dominical, para aqueles que tem a graça, e o privilégio de assentar-se em uma sala, mesmo que este ainda não conheça a Deus.

Espero que este sublime despertamento alcance sua vida também no sentido de enobrecer sua vida e relacionamento para com o Senhor nosso Deus.


Edson Luís Lunardeli

Pastor

sábado, 12 de setembro de 2009

QUAL A IMPORTANCIA DA "E.B.D" PRA VOCÊ?



No próximo dia 20 de Setembro comemora-se o Dia Nacional da Escola Bíblica Dominical. E aproveitando ... preparamos uma enquete.
Dê sua opinião!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

PRÁTICAS QUE FACILITAM A VIDA DE UM LÍDER



"Tu, porém,


permanece naquilo que aprendeste


e de que foste inteirado,


sabendo de quem o tens aprendido"


(2Tm 3.14)








  1. Um líder deve ter completo autodomínio;

  2. Deve sempre e sempre interessar-se pelos interesses alheios;

  3. Sempre admitir seus próprios erros;

  4. Nunca fazer promessas que não possa cumprir;

  5. Deve argumentar, nunca desistir;

  6. Conduzir, mas não forçar;

  7. Explicar claramente o que deseja;

  8. Evitar juizos apressados;

  9. Cuidar da mesma forma, dar a mesma atenção, tanto às grandes como às pequenas coisas;

  10. Comunicar aos outros tudo quanto possa intererssá-los;

  11. Ouvir e observar com atenção;

  12. Nunca fazer críticas públicamente;

  13. Dar a recompensa o máximo realce;

  14. Procurar compreender o liderado, suas atitudes, suas frustrações, suas fraquezas, etc...

terça-feira, 8 de setembro de 2009

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Pontos Importantes do Ensinamento de Jesus no Sermão da Montanha


VEJAMOS UMA LISTA

DE ENSINAMENTOS DE JESUS

DO SERMÃO DA MONTANHA

por: Henry Cloud e JohnTownsend
  • Tenha uma vida de boas obras na comunidade, onde elas tem efeito, e mostre como Deus realmente é.
  • Mantenha-se nos caminhos de Deus e mostre aos outros como fazer o mesmo.
  • Seja melhor do que os hipócritas.
  • Não evite somente matar os outros; evite também as atitudes internas que matam, como a raiva, o ódio e os insultos.
  • Faça as pazes com aqueles a quem você magoar e resolva seus conflitos com os outros.
  • Pare de enganar não apenas o seu conjuge, mas também o seu próprio coração, com lascivia e pornografia. Ame o seu conjuge com pureza.
  • Fuja de coisas que possam destruir sua vida.
  • Mantenha o compromisso do casamento e cumpra-o. Não abandone o seu conjuge semplesmente, sem nenhum bom motivo.
  • Seja uma pessoa de palavra eou outros confiarão em você.
  • Não retribua o mal por mal. Se alguém lhe fizer mal, não revide. Tente fazer alguma coisa boa.
  • Não seja bom apenas com aqueles que são bons com você. Seja uma pessoa boa. Seja bom com todos.
  • Não faça uma boa ação apenas para chamar a atenção, mas para ajudar os outros.
  • Não seja religioso para causar boa impressão. Seja espiritual na privacidade do seu próprio coração.
  • Ore a Deus com palavras verdadeiras de uma forma verdadeira. Venere-o, peça o que precisar, peça para que traga o bem ao mundo eo proteja do mal. Confesse seus erros e peça perdão. Depois, conceda esse mesmo perdão àqueles que erraram com vocÊ. Não há nada mais justo.
  • Não seja materialista. Dedique seu tempo e dinheiro às coisas que duram para sempre, como os caminhos de Deus e o seu povo.
  • Cuide da sua visão espiritual para enxergar avida corretamente.
  • Não se preocupe com avida. Busque aDeus eseja a melhor pessoa que você puder ser. A vida que você terá em decorrência disso será exatamente a vida que você gostaria de ter.
  • Pare de julgar os outros. Antes, preocupe-se com o seu próprio comportamento.
  • Proteja as coisas boas em sua vida e em seu coração daqueles que querem lhe fazer mal.
  • Busque a vida e o que deseja eprecisa. Busque aDeus e peça para ele guiá-lo e encontrará tudo isso. Confie no amor que ele tem pra você.
  • Trate os outros exatamente da forma como você gostaria de ser tratado. Se fizer isso, não precisará de uma série de outras regras na vida.
  • Lembre-se de que o caminho para a vida plena não é fácil e não são muitas as pessoas que o encontram.
  • Cuidado com os falsos mestres espirituais. Você pode distinguir os verdadeiros pela forma como eles vivem epelo que acontece às pessoas que os seguem.
  • Seja verdadeiro e honesto sobre sua vida espiritual com Deus. Ele reconhecerá somente aqueles que assim forem.
  • Construa uma vida sobre ensinamentos de Jesus e terá um alicerce sólido sobre o qual pisar. Aconteça o que acontecer você vencerá.

Isso não tem anada ver com "religião", mas com uma vida saudável, com a realidade. Se todas as pessoas quebuscam uma vida melhor fizessem exatamente essas coisas (sem mencionar o resto do Novo Testamento), não dá nem para imaginar o quanto elas seriam saudáveis. Eis a mensagem: "Ser saudável é exatamente ser justo e seguir os caminhos do Reino".

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

BIOGRAFIA PR JOTINHA


Biografia Pastor José Rodrigues ''Jotinha''
Autor da versão do hino 001 da Harpa Cristã "Chuvas de Graça" (dentre outros), o pastor José Rodrigues, de 97 anos, um dos pioneiros da Assembléia de Deus, amigo de Daniel Berg e Gunnar Vingren – fundadores da Assembléia de Deus – José Rodrigues, mais conhecido como J.R. ou “Jotinha”, é o único da 1ª geração da AD que permanece vivo.
Nasceu em Cafarnaum da Galiléia, Israel, em 24 de junho de 1910, no mesmo ano que se iniciava a Igreja Evangélica Assembléia de Deus. Em 1911 seus pais vieram refugiados para o Brasil. Seu nome de origem é Josefus Rerullu.Autor de diversos corinhos cantados na AD, como o “Eu quero ser senhor amado como um vaso na mão do oleiro...”, que compôs em 1950, muitos hinos da harpa cristã também levam as iniciais J.R. 01, 05, 08, 84, 96, além de outros. Dentre os hinos de sua autoria, J.R. afirma que o mais cantado é o número 1 da Harpa Cristã Chuvas de Graça. “Todos foram escritos em momentos marcantes da minha vida, mas o 01 é o mais lembrado. Esse hino até os ímpios cantam”. J.R. explicou ainda o segredo que faz os hinos da harpa, apesar de muito antigos, sobreviverem às inovações. “Os hinos avulsos vêm e passam, mas os clássicos da harpa cristã permanecerão até a eternidade. Foi Deus quem inspirou os autores que compuseram em constante oração”. O Pastor José Rodrigues é uma prova viva da obra que Deus tem realizado ao longo da história e um rico patrimônio da Assembléia de Deus que vai ficar marcado na memória de todos. Um comentário do pastor chama a atenção: não se casou e nunca teve sequer namorada. Uma vida de inteira dedicação à obra de Deus!Hinos que traduziu ou adaptou:001-Chuvas de Graça005-Ó desce fogo santo008-Cristo, o fiel amigo084-O grande "Eu sou"096-Deixa penetrar a luzTestemunhoEm 1932, J.R. e um grupo de irmãos passaram por uma experiência inusitada. Enquanto caminhavam pelo sertão de Pernambuco para evangelizar os vilarejos, sem alimento adequado há dias, foram surpreendidos por um bando de cangaceiros que lhes indagaram quem eram e para onde iam. J.R. disse que iriam evangelizar vilarejos. O cangaceiro perguntou se eram eles os missionários da “nova seita” que pregavam o bem, o que foi confirmado. No mesmo instante o cangaceiro mandou seus capangas retirarem da bagagem farinha de mandioca, rapadura e carne seca e oferecer aos missionários itinerantes. Após orarem agradecendo a Deus pela provisão de alimentos, pregaram o evangelho. Perguntaram ao cangaceiro seu nome e tiveram uma resposta imprevista: “Virgolino Ferreira da Silva – mais conhecido como Lampião” - bando que atuou no sertão nordestino por 20 anos. Deus usou até o cangaceiro para alimentar seus servos na jornada missionária pelo Brasil!