sábado, 6 de junho de 2009

"ÉTICA" - PROCURA APRESENTAR-TE COMO OBREIRO

PREGADOR,

Será que você já se deparou com uma situação como esta que está nesta figura em sua vida?
Aqui vão alguns conselhos para aqueles que pregam ou para aqueles que almejam ser um.
O pregador não deve, de forma alguma, abusar do púlpito, na igreja ou onde quer que esteja; o púlpito não é lugar para censurar os defeitos de terceiros, defender-se de seus adversários, ou mesmo contra-atacar com indiretas aqueles com quem mantém diferença. É importante considerar que cada vez que um ministro sobe ao púlpito, os olhares que se lhe voltam passam em revista, não só as suas palavras, mas a sua voz, e sua expressão, a sua movimentação, não ficando indiferente todo seu modo de vestir.
Lembre-se da orientação e conselho do apóstolo Paulo: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade"(1Tm 2.15).
É importante que o pregador observe algumas regras e atitudes próprias que a ética nos ensina na conduta do mensageiro no púlpito, como:
  1. Pregar gritando o tempo todo, sem se aperceber que está diante de um microfone;
  2. Bater o pé no chão com força repetidamente e dar murros no púlpito com estardalhaço;
  3. Gesticular demasiadamente, insinuando às vezes gírias ou imoralidade, e ás vezes pular, sem se dar conta disso; o corpo deve ser naturalmente dosado por gestos conforme a dinâmica da prédica;
  4. Falar de olhos fechados ou arregalados, bem como olhar de modo fixo para cima ou para o piso como se tivesse perdido algo, e com medo de encarar o auditório. O certo é que os olhos deve acompanhar o que se fala, pois as vezes falam mais claro que as palavras, e ajudam o pregador a sentir o efeito da mensagem;
  5. Evite pregar com as mãos nos bolsos; ajeitando as calças; com a gravata ou o colarinho desajeitado; Deve evitar imitar os outros, mesmo que seja nos gestos;
  6. Cuidado com o hábito de preencher as lacunas de uma menagem com "aleluia", "glória a Deus", "louvado seja o nome do Senhor", etc;
  7. Molhar o dedo na lingua para virar as páginas da Bíblia, ou soprá-las com a mesma finalidade;
  8. Coçar-se de modo incoveniente e limpar as narinas, quando no púlpito, ou mesmo fazer cacoetes ou tiques mímicos;
  9. Fazer a leitura bíblica que anunciou e não mais voltar a ela;
  10. Não conversar no púlpito, senão o estritamente necessário, e não despachar o expediente no horário do culto;
  11. O pastor deve chegar cedo à casa do Senhor Deus, porque, assim fazendo, dará bom exemplo ao rebanho e não comtemplará o semblante do povo com sinais de impaciência e cansaço;
  12. As reuniões devem ter horário para começar e horário para terminar. (ETICA PASTORAL-Nemuel Kessler)

"Certamente isso e mais um pouco, alguém já observou, em alguns lugares"